Em viagem com Foco

GP3A partir de setembro de 2012, tem início uma nova seção quinzenal dedicada a Igino Giordani: uma viagem pela sua alma, através da seleção de algumas pérolas espirituais extraídas das suas mais profundas meditações.ig3

A seção é organizada por Gennaro Piccolo, do Centro Igino Giordani de Andria (Itália), que assim a descreve para nós:

Trata-se simplesmente de uma viagem dentro da sua grande alma de cristão doado a Deus, à Igreja e ao mundo através do Movimento dos Focolares, do qual é considerado cofundador. De vez em vez extraio dos seus escritos algumas das pérolas mais preciosas, na intuição de que elas podem falar ao homem de hoje como ao de ontem. A sabedoria de Igino pode nos ajudar, nestes tempos difíceis, a orientar a bússola na direção do que não passa e nunca passará: Deus.

94. O dever ser da Europa

tappa 94O dever ser da Europa

A Europa unida é mais uma etapa na direção do mondo unido; um avanço e uma conquista, sob a pressão de instâncias populares, do direito natural, da revelação cristã, de forças morais e espirituais, a que se acrescenta a pressão econômica e política, científica e tecnológica, que gravita rumo à unificação: tele-finalismo da razão e da moral: da vida no tempo e na eternidade.
Para Clemente de Alexandria – herdeiro da sabedoria helênica – a unidade é o bem, produtora de vida: a divisão é o mal, geradora de morte. A civilização cresce na mesma medida em que unifica as almas.
Para Huxley, cada verdadeiro progresso da civilização é um progresso na caridade. E a caridade é o sentimento que induz a fazer de todos “um”: não é por acaso que é a alma de Cristo, cujo testamento termina no desejo vivo: «que todos sejam um». A caridade leva à integração, à comunhão, à solidariedade, inclusive na política, inclusive na economia. E aqui, entre as forças essenciais que pressionam na direção da integração europeia, nós queremos ilustrar justamente as forças do espírito, deixando de ilustrar os aspectos políticos, econômicos, sociais, etc.

Igino Giordani, «Fides», maio de 1961 p.130

O cristianismo e a Europa

A Europa está carregada de rancores como um depósito de explosivos: mantidos vivos por filosofias e falsos patriotismos, mitologias e interesses egoístas. A Europa, para não explodir, precisa remover todo este material inflamável: precisa de uma reconciliação universal, a qual liberte do passado e abra espaço para o futuro.
Quem pode desempenhar «este ministério da reconciliação»? O cristianismo: esta reserva de sanidade, que a Europa ainda guarda e ainda comunica a outros continentes. E o cristianismo comporta uma unificação na liberdade e na paz, com a eliminação das guerras e dos outros motivos de atrito.

Igino Giordani, «Fides», maio de 1961 p.131

Leia mais...